“Quantum Leap” So Help Me God – July 29, 1957 1989 Portuguese-BR Português

Posted by on July 10, 2012

movie image

Descarregar da legenda “Quantum Leap” So Help Me God – July 29, 1957 1989 Portuguese-BR Português

Ao saltar tenho descoberto
que há coisas da vida…
que não posso mudar…
e há coisas que posso mudar.
Salvar uma vida…
fazer que alguém mude de opinião…
que se faça uma eleição correcta.
Suponho que a vida é isso:
fazer a eleição correcta
no momento correcto.
Leonard?
Gostamos da pausa dramática,
Leonard…
mas esperamos sua resposta.
Poderia repetir a pergunta?
Ah, por todos os céus, Leonard.
Todos no distrito de Twelve Oaks
conhecem a resposta.
Está bem, está bem.
Delilah Berry,
acusa você pelo homicídio…
de Houston Palmer Cotter…
em 15 de Junho de 1957.
Homicídio?
Como se declara?
Culpado ou inocente?
Inocente.
O que disse o moço?
Leonard, fizemos um acordo!
20 anos por homicídio sem agravantes.
Ordem. Ordem no tribunal.
Agora será homicídio premeditado
com agravantes…
e pedirei a cadeira eléctrica.
Ou que Deus me castigue
Tínhamos um acordo, juiz! Um acordo!
E Leonard se levantou
e o jogou pela janela.
Estou certo de que Leonard
tem suas razões, Bo…
e se tiver paciência,
averiguaremos quais são.
Ela é inocente.
Assinou uma confissão.
Bo tem razão, Leonard.
Por favor, Deus,
deixa que diga alguma coisa direita.
Miranda.
Miranda?
Sim, não leram seus direitos
Miranda quando a prenderam.
Que diabos são os direitos Miranda?
O direito a permanecer calado,
a ter um advogado presente.
Mas não até os anos 60.
Leonard Dancey,
por fim perdeu um parafuso.
Olhe, Leonard.
Lila confessou ter assassinado Houston.
Se não tem provas
que demonstrem o contrário…
sugiro que aceite a oferta de Bo
e a declare culpada.
20 anos na prisão é muito melhor
que a cadeira eléctrica.
Ela não é culpada.
Maldição!
Acalme-se, Bo. Acalme-se.
Leonard, o capitão sabia
que sua intenção era…
declarar Lila inocente?
Não acredito.
Então, por que fez isso?
Porque… não acredito que seja culpada.
Lila é uma mulher muito atraente
e de sangue quente.
E entendo por que qualquer homem
estaria tentado…
a defendê-la apesar dos factos.
Mas acredite em mim…
sem importar quão boa seja…
não vale a pena
a confusão que está a criar.
Maldita seja, Leonard.
Ela é culpada.
Terá que provar.
Já que a acusada
declarou-se inocente…
este tribunal não tem outro recurso
senão julgar Delilah Berry…
pelo homicídio de Houston Cotter.
adiada a sessão
até as 10:00 horas de segunda-feira.
por que fez isso?
Porque não é culpada.
Nunca disse isso.
Seus olhos disseram.
Isso é necessário?
Espere um momento, por favor.
Ainda não terminei de falar com meu cliente.
Já terminou até manhã
na hora de visita.
Capitão.
Capitão.
Que tal se me deixares
levar-te para casa, rapaz?
Está bem.
Apesar da voz cálida
e do sorriso, não me agradava.
Eu não gostava de como abriam o passo…
nem como tocavam o chapéu
e lhe diziam “capitão”.
Mas ele dirigia a cidade,
assim tinha que saber mais dele.
Além disso, não tinha ideia
de onde eu vivia.
Sabe, Leonard? Seu pai e eu
fomos sócios muito tempo.
Muito tempo.
Por isso posso falar-lhe com franqueza.
Sei que o julgamento de Houston
é sua grande oportunidade.
Quer dizer o julgamento de Lila, não é?
O julgamento de Lila.
Isso mostra como a dor e a pena
confundem-lhe a mente.
Mas parece que te aconteceu
algo como isso no tribunal.
Toda essa emoção.
Toda a cidade observando você.
Suponho que se deixou levar, não é?
Como um cachorro de primeira caçada.
Não sou um cachorrinho.
Ela assassinou meu filho, Leonard.
Mas…
devo pensar na mãe de Houston.
Ela se culpa pelo que aconteceu.
Teve lástima por Lila
desde que a viu pela primeira vez.
Acolheu-a, manteve-a…
quando eu sabia que só
nos traria problemas.
Por isso aceitei reduzir a culpa para
homicídio premeditado sem agravantes:
para acabar com isto o quanto antes
possível, pelo bem de Sadie.
Você aceitou?
Como você.
Sim, mas, mudei de opinião.
Por que?
Porque é inocente.
Leonard, essa moreia assassinou
meu único filho.
Primeiro…
não sabemos se foi homicídio.
Segundo,
pode chamá-la negra ou de cor…
mas não volte a chamá-la…
Não volte a usar essa palavra
Em minha frente.
Nunca foi mulherengo, Leonard.
Está se esfregando em você, rapaz?
agacha-se para que possa ver
dentro de seu vestido?
Estava acostumado a vê-la esculpir os pisos
ajoelhada…
descalça…
a saia arregaçada na cintura.
Entendo, Leonard.
Na verdade.
Não, não entende.
O que?
É sua casa.
Quero que passe a noite a pensar
no que é bom para todos.
Para o Sadie, para sua cliente…
e para você.
Especialmente para você, Leonard.
Obrigado por me trazer…
capitão.
Que trouxe você
era o capitão Cotter?
Sim, suponho que sim.
Toda a cidade está a falar
do que fez no tribunal.
Reconheço que quando aceitou
Defender essa rameira de cor…
com quem todos sabem que Houston
deitou-se quando ela tinha 14 anos…
estava horrorizada.
Pensei: “Deus, nunca entraremos
no Clube Campestre do Twelve Oaks”.
Mas quando saí há um momento…
e vi o capitão Cotter
em seu Cadilac novo…
trazendo você para nossa casa…
nossa casa…
disse-me: “Sugee…
vamos ser famosos”.
Amor?
vou fazer…
um pastel de carne.
E deixarei que esta noite julgue
ser Rhett Butler.
Tolice.
Terminei de ler os expedientes
de Leonard às 3:00 horas.
E não pude dormir, em parte
para evitar Scarlett O’Hara…
mas principalmente porque temia
por quem quer que fosse meu cliente.
O que sabia de lei
era por ver um show…
cujo nome não podia recordar.
É Perry Mason.
É esse!
Que coisa?
Esqueça. Onde estava?
Estive acordado toda a noite consigo.
Não, com Leonard.
É um boneco de pano.
Passou meia manhã em posição fetal,
e demoramos seis horas para fazê-lo falar.
O que disse?
“Sou advogado. Leve-me ao seu líder”.
Essa é uma possibilidade horripilante.
O primeiro contacto alienígena
na Terra… e é um advogado.
O que diz Ziggy?
Considerando que Leonard não fala,
você provavelmente sabe mais que nós.
o melhor que Ziggy pôde encontrar
foi que está aqui para brincar.
Brincar de ser Rhett Butler.
De maneira nenhuma.
Diga a Ziggy que não. Devia salvar
Delilah Berry da cadeira eléctrica.
Já calculamos isso.
Não há problema.
Declara-se culpada de uma culpa menor…
e lhe dão 20 anos em vez da cadeira.
Isso provavelmente foi antes…
de que a declarasse inocente.
Por que fez isso?
Porque é inocente!
Lila disse isso a você?
Não disse com palavras,
mas com seus olhos.
Não acreditaria o ódio e a intolerância
que havia no tribunal.
Queria vomitar.
As mulheres a chamam
rameira de cor, os homens…
Muito bem. Entendo.
Se assassinou o filho do homem
mais rico desta cidade…
onde o prejuízo está desenfreado…
acha que lhe perdoariam a vida?
Escondem algo, e quando averiguar,
demonstrarei que Lila é inocente.
Estava me acostumando à ideia
de passar o resto de minha vida…
na cela de um cárcere.
Suponho que posso me acostumar a morrer.
Estou aqui para me encarregar
de que isso não aconteça.
O cavalheirismo não está morto.
Só perdeu a força nas asas.
Sabe? Não deveria fazer isso.
O que fará? Acabará com minha vida?
Por que assinou a confissão?
O que importa?
Os inocentes não assinam confissões.
Não fui inocente desde que cheguei
à casa do capitão.
Eu sou Delilah…
a rameira tentadora dos filisteus…
que enfeitiçou o menino dourado…
e o assassinou quando ele a desprezou.
Tenho sorte de não morrer na fogueira.
Suponho que a cadeira eléctrica é…
como uma fogueira moderna…
para uma bruxa moderna.
Lila, não é bruxa nem assassina.
Sim eu sou.
Matei Houston.
Matei.
Se fez isso por paixão
ou por legítima defesa…
posso ajudar-te,
mas deve dizer-me o que aconteceu.
Quero retornar a minha cela.
Lila, por favor.
Matei ele, está bem?
Quantas vezes tenho que dizer?
Matei-o!
Chigger! Quero sair daqui.
Estava aqui mesmo, Lila.
Não há razão para gritar.
Sei onde está.
Sei onde estão todos.
Para que quer ver sua confissão?
Porque sou seu advogado.
Quero ver tudo relacionado
com este caso.
Quero ver sua confissão…
o relatório forense,
sua investigação…
Leonard, todos estão impressionados
que queira fazer um bom trabalho…
mas já foi o suficiente.
Não se Lila vai à cadeira eléctrica.
E de quem é a culpa?
Quero ver essa confissão…
o relatório da polícia,
o relatório forense…
tudo deste caso.
Não sei se tem o direito de fazer isso.
Sou seu advogado.
Claro que tenho o direito.
Tenho que perguntar ao Bo.
Esperarei.
Nunca pensei que tivesse
Tanta coragem, Leonard.
Eu tampouco.
Claro que defender
uma mulher como Lila…
provavelmente “aquece”
qualquer um.
Bo, sou Dix.
Não perderia isso por nada.
Mabel preparará um presunto com mel.
Sua mãe, uma torta de limão.
Ah, sim, claro. Você dirige?
Poderia ir buscá-la
depois da missa.
Ah é. Isso disse?
o Xerife.
A razão por que te chamo
é porque Leonard está aqui.
Sim, verdade que sim?
Quer a confissão de Lila.
Isso eu disse-lhe.
Olhe, cuide de si, vejo-te no domingo.
Defendo uma mulher
acusada de homicídio.
Se você e o xerife Lobo
não cooperam comigo…
pedirei ao juiz do distrito
seus expedientes…
e que os acuse
de obstrução da justiça!
Você manda.
Obrigado, Perry Mason.
A confissão de Lila parecia saída
de uma telenovela.
Se fosse verdade, havia
Insinuado para a Houston por anos…
e quando ele já não pôde tolerar
suas insinuações sexuais, rechaçou-a.
Enfurecida pela rejeição,
esperou que chegasse em casa essa noite…
e arrancou-lhe a cabeça com uma espingarda.
Leonard Dancey! É você?
Como cresceu.
Bem, não te vejo desde…
que você e Houston lutaram
no bacharelado.
passou muito tempo.
Nunca pensei que ele tivesse razão,
Leonard. Ele disse.
Obrigado.
Suponho viu o capitão.
Bem, não, não precisamente.
Quero falar com Myrtle.
Com Myrtle?
Por que quereria…
Esqueça. Não é assunto meu.
Deve estar sentada no alpendre.
Faz isso depois da comida.
Obrigado, senhora.
Cuide-se.
Não pise em minhas alcatrazes
como estava acostumado a fazer.
Não, senhora.
Estão a morrer, Leonard.
É este calor.
Está a matar todos.
Certamente se recuperarão
quando mudar o clima.
Às vezes acho que nunca se recuperarão.
Todos nós lhe agradecemos
o que faz por Lila.
Não estou certo
de que a maioria pense assim.
Disse “todos nós”.
Myrtle…
segundo o relatório da polícia, você é
a testemunha mais próxima.
Não sei nada.
Mas estava aqui quando aconteceu.
Estava na cozinha.
Houston voltou da caça…
e começaram a lutar de novo.
Parece que brigaram
a maior parte do dia.
Brigavam muito?
Como animais enfurecidos.
Por que?
Como sempre, ela ia embora
e ele não queria que ela fosse.
Ela ia embora?
Suponho que o amor
já não podia suavizar…
os golpes que lhe dava.
Ela o amava?
A princípio não.
Mas ele a tomou quando ela tinha 14.
É curioso como a mente…
dá volta às coisas
e faz que pareçam bem.
Espere um momento.
Ele batia nela e a violava
e ela pensava que era amor?
Era amor.
Pelo menos, o único amor
que Lila conheceu de um homem.
Myrtle, isto é importante.
Houston golpeou Lila
na noite do disparo?
Não sei. Não estava no quarto.
Ouviu ele golpeá-la?
Só ouvi muitos gritos
e coisas a partir…
e de repente soou o disparo
e Lila gritou.
E logo Lila abriu a porta…
e ali estava Houston.
Estava estirado sobre o tapete…
importado de dona Sadie…
e não tinha rosto.
Ah, Meu Deus.
Não tinha rosto!
Se me diz isto…
significa que Lila disparou em Houston
em defesa própria ou por acidente…
mas sem premeditação.
Quando um jurado ouvir, não há maneira
de que a enviem à cadeira eléctrica.
Não posso ser testemunha.
O que?
Não posso jurar sobre uma Bíblia!
Tem medo de quem? Do capitão?
Não temo a nenhum homem…
nem branco nem de cor.
Por que não testemunha?
A vida de Lila depende disso.
Não posso ser testemunha.
Todos de pé.
O tribunal do distrito de Twelve Oaks
está em sessão.
Sei o que aconteceu a Houston e você.
Sentados.
Myrtle disse-me.
Ele batia em você nessa noite, não é?
Lila, não posso ajudar-te
se você não se ajudar.
A acusação está preparada?
Sim, Sr. juiz.
Ai, Deus. Ajude-me.
Leonard, a defesa está preparada?
Não posso continuar.
Sim, sim pode, Sam.
Pergunte se pode se aproximar da tribuna.
Quero me aproximar da tribuna.
Sr. juiz.
Ambos os advogados podem aproximar-se.
peça a Sua Senhoria…
se pode entrar em seu escritório
uns minutos sozinho.
Sua Senhoria… Sr. juiz…
queria usar seu escritório uns minutos.
Podemos falar aqui, Leonard.
Ah, não. Quero dizer eu sozinho.
Sozinho?
Pois…
diga que tem a braguilha aberta.
Tenho a braguilha aberta.
Emperrou.
Emperrou e necessito uns minutos
para arrumá-la.
Objecção!
Espera que um homem leve seu caso
com a braguilha aberta, Bo?
Tem três minutos, Leonard.
Confio que isso será suficiente.
Ah, sim. Obrigado, Sr. juiz.
Sr. juiz.
Sim fico contente em o ver.
Pensei nisso.
Sou advogado? Era advogado?
Não. Nenhum de seu seis títulos
é de Direito.
Mas não se preocupe, Sam.
Ziggy e eu temos toda a história
legal na ponta de meus dedos.
Isto não é um jogo de computador!
A vida de Lila está em perigo e…
é minha culpa.
Eu também pensei, mas logo lembrei
o que disse sobre seus olhos.
Sobre me perder neles?
Bem, não. Talvez eu, mas você nunca.
Mas viu a verdade aí.
Talvez por isso lhe deram
este trabalho.
Sim. Saio em seguida.
Então… acha na verdade
que podemos salvá-la?
Claro que podemos salvá-la.
Ziggy e eu investigamos uma dúzia
de casos similares…
e vamos apresentar uma grande defesa.
Começaremos com o júri.
Muito bem.
O júri?
O que tem de mau o júri?
Nenhum deles é negro.
Refere-se à raça?
Sim, senhor.
E já que minha cliente…
é negra…
seria justo que houvesse negros
no júri.
Objecção.
Nunca houve um negro
num júri na Luisiana.
Não há lugar.
Disse-lhe isso, Sam.
Só há um problema.
Ah, não.
Para estar num júri,
deve ser um eleitor registado.
E já que não há negros…
registados neste distrito…
não vejo como porá um
nesse júri.
Bem…
se esse for o caso, Sr. juiz…
já que a lei exige que o julgamento seja
por um júri de seus iguais…
não temos opção, excepto…
aceitar a contra gosto
estes jurados brancos…
Como iguais de Lila.
O que? Iguais?
Sam, isso foi muito belo!
Os projécteis entraram por detrás
da cabeça de Houston, por aqui.
O diâmetro do orifício de entrada
era de pouco mais de sete cm.
E o orifício de saída?
O rosto dele voou.
O caso de Bo estava coalhando
como uma obra cuidadosamente montada.
Todos contavam a mesma história,
usavam as mesmas palavras.
O problema é que não se parecia
com a de Myrtle.
É como se tivessem visto
a mesma obra…
montada por outro director.
depois de um momento,
quando lhe toquei o ombro…
Essa é a confissão?
Sim, senhor. Reconheço essa assinatura.
E se nota,
a letra R está torcida.
A câmara não autorizou
O conserto da máquina.
diga, xerife.
Sr. juiz, quero que isto
seja posto nos registos…
como a prova de culpa B…
e quero lê-la para o registo.
Objecta. Objecta. Objecta.
Objecção.
Por que motivo?
Obteve-a sob coação.
A Menina Berry assinou essa confissão
sob coação.
Isso é verdade, Lila?
Não pode perguntar nada se não está…
Sob juramento.
O que?
Sr. juiz, não pode interrogá-la
se não está sob juramento.
Bem, que jure.
Não jurarei sobre uma Bíblia.
Lila, tem que fazer.
a tribuna para testemunhar.
A menos que a leia, e assegure-se de que
são as suas palavras e a sua assinatura.
Acredito que podemos arrumar isto
sem que a Menina Berry testemunhe…
se pudéssemos ver a confissão.
Suposta!
A suposta confissão.
Dê-a, Bo.
Sim, Sr. juiz.
Esta é sua confissão?
Parece.
Pois… leia para ter certeza.
Não posso.
Como que não pode?
Não sei ler.
Fomos grandes, Sam!
Impressionamos eles.
Não fizemos nada.
Nada? Como nada?
O juiz atrasou sua falha
com respeito à confissão…
até depois do almoço.
Se Lila não atestar e negar,
Bo a lerá e ficará no registo.
Traga frango banhado em mel…
e sua salada de batata favorita.
Nunca estive tão mortificada
em toda minha vida!
Se pai estivesse vivo, morreria.
Como pôde dizer que essa rameira
de cor é igual a um branco?
Chama-se Lila ou Menina Berry…
e se referirá a ela assim
em minha presença…
e embora não esteja em minha presença.
Leonard Dancey, perdeu a razão?
Não disse nada que não haja dito você.
Pois, equivoquei-me.
O que está a fazer?
Levarei Lila para o almoço.
Vai dar a essa ra…
a essa rapariga de cor o meu frango?
Se quiser.
Vá, vá, vá, dona Sugee.
Olhe-se.
Leonard, sua esposa
é como a fruta da árvore.
fica mais doce com o tempo.
Capitão Cotter, que agradável é.
Deu um grande show aí dentro, Leonard.
Impressionou-me.
Que pena que alguém talentoso
vá embora de Twelve Oaks.
Bem, não vamos
a lugar algum, capitão.
Não sabia que tivessem
suficiente dinheiro para se retirarem.
Que tal se for ao grão, capitão?
Está bem, Leonard, vou fazer.
A maioria do trabalho legal aqui
faz-se para mim e para meus associados.
Se persistir em continuar
desta maneira…
o único trabalho legal que
fará, será pró bónus.
Isso significa gratuito, Sugee.
Ameaçou-o você.
Leonard, o que vai fazer?
Levarei o almoço para Lila.
Agora sei como se sentiam os cristãos.
Ninguém te vai atirar aos leões.
Myrtle disse-me que…
Houston te violou quando tinha 14 anos.
Myrtle fala muito.
Violou?
Alguns diriam que sim; outros, que não.
Você o que diria?
Minha mãe e eu…
Enterramos sete irmãos
no pântano…
do que me tirou dona Sadie.
Não ia dar uma razão
para que me enviassem de volta.
Assim eu permiti.
Isso é violação?
Pois, se foi,
só foi a primeira vez.
depois disso…
Houston estava apaixonado por mim.
Isso não justifica o que lhe fazia.
Não há muitas coisas neste mundo
que estejam bem, Leonard.
Parece que a comida campestre terminou.
Tem que desmentir esta confissão.
Não testemunharei.
Vai mandá-la para a cadeira eléctrica!
Entende o que diz?
Que Houston suportou suas insinuações
sexuais até que não pôde mais…
logo te despediu,
assim o esperou com uma escopeta…
e embora pedisse em nome de Jesus
que não disparasse…
Em nome de Jesus?
Como podem dizer que fez isso?
Podem dizer
porque não quer se defender.
Mas é uma mentira.
É uma mentira.
Tudo é uma mentira, não é?
Ou não? Toda esta maldita confissão
é uma mentira, não é?
Ou não?
Ah, Deus!
Leonard…
sua cliente tem algo a dizer…
antes de falar sobre a
admissibilidade de sua confissão?
Sim, Sr. juiz, dirá algo.
Tem que lhes dizer que é uma mentira.
Não testemunharei.
Não testemunharei, Sr. juiz.
Muito bem.
Minha falta…
é que a confissão do Delilah Berry
aceita-se como plausível.
Pode ler ao júri, Bo.
Obrigado, Sr. juiz.
“Eu, Delilah Berry, juro…
que a seguinte confissão
é verdadeira e válida.
Na noite de 15 de Junho de 1957…
deliberadamente…
e com premeditação…
assassinei…
a Houston Palmer Cotter”.
BÍBLIA SAGRADA
Procura inspiração?
por que se jura sobre uma Bíblia
para testemunhar?
Para que diga a verdade.
Ah é.
Embora com alguns
isso não serve muito.
A menos que seja temente a Deus,
como Lila.
Se jurasse dizer a verdade…
toda a verdade e nada mais que a verdade,
ou que Deus a castigasse, faria.
Sim, faria, embora isso a incriminasse.
Não, não. Não ela, Al.
Outra pessoa.
Uma pessoa mais importante para ela
que sua própria vida.
Lamento incomodá-lo enquanto reza.
Rezava para encontrar a maneira
de ajudar Lila.
Pode salvá-la?
Necessito sua ajuda, Myrtle.
Já disse que não posso testemunhar.
Disse-me que não temia nenhum homem,
nem branco nem negro.
Ele fez-me jurar sobre a Bíblia…
que se dissesse a alguém
o que tinha acontecido…
iria para o inferno.
O capitão?
Sam. Gálatas.
Gálatas?
Sim. Está atrás.
Capítulo cinco…
versículos… do sete ao dez.
“Quem lhes impediu de obedecer
à verdade?
Tal instigação…
não pode vir de Deus”.
Lê a seguinte parte.
“Confio em que vocês não pensarão
de outra maneira.
quem os está perturbando
será castigado…
seja quem for”.
Lila, onde está Leonard?
Não sei, juiz.
Sr. juiz…
obviamente é uma tentativa da defesa
para atrasar o inevitável.
Não estou seguro disso, Bo.
Mas seja o que for, este tribunal
não adia este julgamento.
Lila, já que seu advogado…
parece não estar disposto
a apresentar-se em seu nome…
Aqui estou, Sr. juiz.
Desculpo-me com o tribunal
por chegar tarde.
Não tolero atrasos.
Sr. juiz, não voltará a acontecer.
Temi que não viesse.
Pensou que me dava por vencido?
Este tribunal entra em sessão.
Já que decidiu gentilmente
acompanhar-nos, Leonard…
poderia chamar a sua primeira testemunha?
Sim, Sr. juiz.
A defesa chama para depor
à Sra. Sadie Cotter.
Leonard, foi muito longe!
Ordem. Ordem no tribunal.
Não permitirei que a chame uma
de luto para testemunhar.
Pressenti que diria algo assim, Sr. juiz.
Assim fui ao Baton Rouge para obter
uma citação e um oficial federal.
Eugene, pare com isto! Agora!
Esta é uma citação federal, capitão.
Não me importa se for de Deus!
Não permitirei que Sadie
Por todos os céus, Colbert!
por que grita?
Não deveria estar aqui.
Mas Lila precisa de minha ajuda.
Mas não está bem, meu amor.
Estou tão bem
como qualquer mulher pode estar.
Obrigado, Leonard.
Na verdade quer testemunhar, Sadie?
Quero ajudar a Lila.
Não faça isto. Ela não está bem.
Disparou em defesa própria, não é?
Foi um acidente.
A arma disparou por acidente.
Mas a Sra. Cotter estava aí, ou não?
Ela viu como Houston golpeou você.
Ela viu como aconteceu.
Já pode sair do banco de testemunhas?
Por favor levante a mão direita.
Não posso, Lila.
Ouviram sua confissão,
não há maneira de que acreditem em você.
Mas acreditarão nela.
Sua testemunha.
Parece um pouco cansada.
Sim, senhora.
Sei que isto não é fácil para você
Ninguém quer lavar a roupa suja
em público, mas…
se isso ajudar a Lila…
Você ama Lila?
Ah, sim.
É uma menina encantadora.
Sei o que dizem dela…
mas os que não sabem a verdade
não deveriam falar.
Por isso a citei, Sra. Cotter,
para ouvir a verdade.
É a única forma de falar que conheço.
Seu filho Houston batia em Lila?
Objecção. Houston não está em julgamento,
Sr. juiz. Lila sim.
Cale-se, Bo. Factos.
Acabemos com isto.
Não há lugar.
Às vezes, se ama alguém…
e não quer amá-lo…
termina odiando-o.
Houston amava Lila tanto
que queria casar-se com ela.
Mas claro que não podia
porque ela era de cor.
Houston batia em Lila?
Embora nunca se atreveu a bater
em minha frente…
até essa noite.
nos fale dessa noite, Sra. Cotter.
Foi minha culpa.
Dava a Lila o dinheiro para
que fosse embora e começasse uma nova vida.
Ela e eu estávamos nos despedindo…
quando Houston chegou da caça.
Viu a mala na mão dela…
e atirou-a para o quarto.
Partiu o vaso chinês
que o capitão trouxe da Inglaterra.
Então, Lila o esbofeteou.
Houston ficou louco.
Bateu-lhe com tanta força
que ela caiu sobre a cómoda.
Tentei detê-lo, mas ele empurrou-me.
Bateu-lhe uma e outra vez.
Roguei-lhe que parasse
antes que a matasse…
mas não se deteve.
Então, tomei a escopeta.
Foi um acidente!
Ordem! Ordem!
Soou tão forte
que me zumbiram os ouvidos.
E logo Lila começou a gritar.
Céus, menina, como grita forte!
Foi um acidente.
Ela tentava salvar-me a vida.
Ela só tentava salvar-me a vida.
Assim, como vê, Eugene…
Lila não roubou o dinheiro, eu dava-lho.
E encarregar-me-ei de que Houston
lhes diga a verdade…
assim que retorne da caça.
Sr. Dancey.
O que faz aqui?
Vim me despedir.
Não tem que se preocupar comigo.
Não mais.
Bem, já me acostumei.
Aonde vai?
Aonde me levem 100 dólares.
Ouvi dizer que escreveram sobre
você no jornal do Baton Rouge com foto.
Sim, e recebi uma oferta
de um grande escritório de lá.
O que pensa disso dona Sugee?
O trabalho inclui formar parte
de um clube campestre.
Ela aceitaria isso.
O que vai fazer?
Não importa.
Sou livre.
Dona Sadie salvou-me a vida.
Duas vezes.
Espero que nunca mais se lembre
do que aconteceu.
Eu também.
Quero enviar-lhe dinheiro
assim que tenha trabalho.
Talvez não seja muito, mas envio-lhe
até que diga que é suficiente.
Embora o Senhor sabe
que nunca será suficiente.
Não me envie nada.
Mas devo pagar-te.
Só faça-me uma promessa.
O que é?
É um livro para aprender a ler.
Se quer me pagar, aprenda a ler.
Lila, se sabe ler,
pode fazer o que quiser.
Adeus.
Promete?
Prometo.
Ou que Deus me castigue.
Um minuto! No seu lugar!
Pare de gritar!
Não estou gritando!
Sairá dentro de 50 segundos!
Sairei? O que…
Quarenta e sete!

Get Adobe Flash player

Comments are closed.